Já ouviu falar em Biohacking?

30/09/2019 5 min de leitura

Um termo pouco conhecido e muito importante para a nossa saúde.

Você já ouviu falar no termo Biohacking? Imagina o que isso significa?

Sabe os óculos de grau que você usa? Eles são biohacking. Sabe os suplementos alimentares que, muitas vezes, precisamos usar em nossa alimentação? Eles também são biohacking.

Ainda não entendeu o que é Biohacking? Segue a leitura!

O nome biohacking vem da junção dos termos biologia e hacker. Os indivíduos que praticam o biohacking são os biohackers. A atividade é caracterizada pela capacidade do indivíduo de hackear o próprio corpo para promover melhorias.

Definição de Biohacking segundo a Merrian-Webster (editora estadunidense que publica livros de consulta) : “experimentos biológicos (como edição de genes ou o uso de drogas implantadas) realizados para melhorar as capacidades dos seres vivos, especialmente por indivíduos e grupos que trabalham fora de um ambiente tradicional de pesquisa médica ou científica”

Biohacking é a capacidade de usar ciência, tecnologia e uma variedade de recursos  a seu favor, a fim de que o indivíduo possa desenvolver o máximo possível de sua capacidade física e mental.

Quando pensamos nas experiências de biohacking mais radicais, como a implantação de chips e de dispositivos de melhora das funções do corpo, achamos que essa é uma prática que está muito longe de nós, porém, isso não é verdade. Podemos hackear as mais simples coisas em nosso dia a dia, tais como alimentação, sono, postura corporal e diversos outros fatores. 

O entendimento de que nosso corpo é uma máquina que pode ser constantemente melhorada através dos mais diversos recursos fez com que começássemos a utilizar estratégias para evoluirmos nos pontos em que nos consideramos fracos. Estamos cada vez mais aliando consciência, biologia e tecnologia, fazendo assim com que a nossa máquina natural e orgânica possa ser potencializada e abrindo portas para que elementos externos a modifiquem. 

As modificações promovidas pelos biohackers podem ser externas ou internas, interventivas ou não-interventivas. Você pode modificar aspectos internos da sua fisiologia ou utilizar/incorporar recursos externos. 

Abordagens interventivas: consiste no uso de implantes, como os chips que liberam anticoncepcional periodicamente.
Abordagem não interventiva: consiste no uso de elementos externos, áudios que aumentam o foco, óculos de grau, uso de luzes como terapia e até mesmo o  jejum intermitente. 

Os super-humanos

Muitas vezes, nossa genética ou nossas capacidades emocionais parecem limitar a atuação do nosso corpo, é aí que entram a ciência, a biologia e a tecnologia.Todas as modificações possibilitadas por essas áreas de estudo podem nos levar à categoria de super-humanos, afinal, o biohacking e as intervenções nos corpos humanos transcendem os limites naturais do corpo humano.

Quando falamos nessas melhorias em nossa biologia através da tecnologia, tendemos a pensar logo em coisas absurdas, tais como pessoas que implantam chips para abrir a porta de casa ou pessoas que injetam substâncias químicas nos olhos para ter visão noturna. Mas a ciência e a tecnologia já nos fornecem elementos como o marca-passo – dispositivo que regulariza os batimentos cardíacos,  stents – colocados em artérias que evitam obstruções e uma série de outros recursos que otimizam milhares de vidas diariamente.

Neil Harbisson – Primeira pessoa considerada ciborgue

O londrino Neil Harbisson se tornou a primeira pessoa a ser reconhecida como ciborgue por um governo. Harbisson nasceu com uma condição visual rara chamada acromatopsia, caracterizada por ser um daltonismo total. Ele nunca viu cores, vivia em num mundo de tons de cinza.

Neil Harbisson - primeira pessoa a ser reconhecida como ciborgue por um governo
Fonte: Wikipédia

No entanto, desde os 21 anos, ao invés de ver as cores, Neil Harbisson pode escutá-las. Em parceria com cientistas, ele desenvolveu um sensor de cores que detecta a frequência das cores que estão à frente dele e as envia para um chip instalado atrás da cabeça dele e, assim, a cor é traduzida em notas musicais e ele consegue escutá-las. Isso é possível pois a frequência chega até ele através da condução óssea. É possível ver que o dispositivo passou a ser uma extensão de seu corpo.

Dave Asprey – Um dos maiores biohackers

Antes e depois de Dave Asprey
Fonte: Daily Star

Dave Asprey é um empreendedor norte-americano. O multimilionário tinha por volta de 136 kg, fazia exercícios intensos, reduzia o consumo de calorias e mesmo assim não conseguia emagrecer. Até que em uma viagem ao Tibete, ele descobriu um chá amanteigado. Dave tomou o chá e ficou com uma energia altíssima. Ao retornar aos EUA, resolveu adaptar a mistura e começou a unir o café à manteiga. Ele obteve vários ganhos com a mistura, pesquisou mais à fundo, trabalhou junto a cientistas e desenvolveu o Bulletproof Coffee.

O Bulletproof Coffee, ou Café à prova de bala, é a mistura do café, com manteiga e óleo TCM. A partir dessa viagem ao Tibete e dos ganhos extraordinários que Dave Asprey teve com a mistura, ele passou a hackear o próprio corpo e a modificá-lo para extrair a máxima performance possível da própria biologia dele.

Hacks são as estratégias usadas no Biohacking, os hacks mais famosos de Dave Asprey são: café com manteiga (para dar energia), óculos com lentes alaranjadas (para um sono mais tranquilo) e sons binaurais (para aumentar o foco).

Dave Asprey com os óculos laranjas
Fonte: Bulletproof.com

Em um vídeo disponível no Youtube, Dave Asprey  dá dicas de hacks que você pode fazer ainda hoje para ter bem mais energia em menos tempo.

São eles:

Banhos frios por, pelo menos, três dias seguidos: Após o seu bom banho quente, ligue a torneira com água fria e deixe caindo em sua cabeça por 10 segundos, isso dará energia de maneira rápida ao seu corpo.
Elimine a luz brilhante: a luz azul e brilhante estressa o seu cérebro, evite-as principalmente antes de dormir. Você também pode fazer o uso de óculos com lentes de cor laranja, que inibem a incidência da luz azul sobre seus olhos.
Seja grato: A gratidão tem efeito sobre o seu sistema nervoso, que por consequência  tem um efeito sobre a sua biologia celular. Pratique a gratidão todos os dias, faça uma lista com, pelo menos 3 itens, de coisas pelas quais você é grato.

Exemplos de diversos hacks:

  • Óculos de grau
  • Mistura de café com manteiga
  • Suplementos vitamínicos 
  • Aparelhos auditivos
  • Chips no corpo
  • Jejum intermitente
  • Café com manteiga
  • Óculos com lentes laranjas
  • Meditação
  • Exercitar-se no máximo até duas horas antes de dormir
  • Uso de aplicativos e softwares para o controle da ingestão de água, por exemplo

Como você viu, a prática do biohacking pode ir do consumo de café com manteiga e tcm para melhorar a sua disposição e energia, até chips que liberam hormônios periodicamente. Se você sente que precisa melhorar o funcionamento do seu corpo em algum nível, experimente hackear o seu corpo e melhorar funções essenciais, como seus sentidos, seu sono, nutrição, corpo e mente.