Entenda a Tensão Pré-Menstrual (TPM), os sintomas e tratamentos

10/03/2020 4 min de leitura

Todos os meses as mulheres passam por um período de variação hormonal, a famosa Tensão Pré-Menstrual (TPM). O que muitos não sabem direito é que há um desequilíbrio hormonal por trás dos típicos sintomas da TPM, e que o estrogênio e a progesterona agem em maior ou menor grau durante o mês inteiro no corpo feminino. 

A partir do primeiro dia de menstruação, o nível de estrogênio começa a crescer e chega ao seu máximo por volta do 15º dia do ciclo, fase em que ocorre a ovulação e depois vai caindo e a mulher começa a produzir progesterona. Por volta do 26º dia, os dois hormônios sofrem queda e chegam a praticamente zero durante a menstruação. A queda gradativa do estrogênio é o que provoca os sintomas típicos da TPM.

As modificações hormonais que ocorrem no corpo da mulher ao longo do ciclo menstrual, somadas ao estilo de vida e a fatores como dieta e carências nutricionais, estresse, problemas emocionais, resistência insulínica, desequilíbrio da tireóide, uso de álcool e medicamentos; contribuem para a manifestação dos sintomas físicos, psicológicos e emocionais da TPM. Todos esses fatores juntos podem interferir na performance pessoal e profissional da mulher.

Mas afinal, o que é a TPM?

A TPM  pode ser identificada como um conjunto de sinais e sintomas de natureza física e emocional, que ocorre de forma cíclica em mulheres durante o período fértil. Estes sintomas se manifestam principalmente na semana que precede a menstruação, desaparecendo alguns dias após o aparecimento do fluxo menstrual. Os sintomas variam de intensidade e atingem seu ápice um a dois dias antes da menstruação, e regridem, normalmente, no último dia do ciclo. De acordo com a sintomatologia, a TPM é classificada em 3 tipos. São eles:

TPM leve: na maioria dos casos, os sintomas podem ser controlados ou até mesmo cessar apenas com exercícios físicos.

TPM moderada: os sintomas emocionais da mulher são bem mais fortes e chegam a interferir nas relações pessoais. Nesse caso, os sintomas podem ser aliviados com pílula anticoncepcional e prática de exercícios físicos.

TPM grave: é quando a TPM passa a interferir no dia a dia da mulher, podendo influenciar negativamente as suas decisões e o seu relacionamento interpessoal. O tratamento pode ser feito com associação entre medicamentos antidepressivos e pílula anticoncepcional de uso contínuo. 

Principais sintomas 

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), 70% das mulheres brasileiras e 90% das mulheres em todo o mundo sofrem com o problema que, em geral, aparece de 7 a 10 dias antes do início do fluxo menstrual e termina logo depois. Especialistas afirmam que existem cerca de 150 sinais que podem acometer a mulher no meio do ciclo menstrual, desaparecendo somente com a chegada da menstruação. São alguns deles:

Sintomas emocionais

  • Ansiedade e tensão;
  • Raiva ou irritabilidade persistente, ou conflitos interpessoais aumentados; 
  • Dificuldade de concentração;
  • Diminuição do interesse pelas atividades habituais;
  • Hipersonia ou insônia.

Sintomas físicos

  • Acnes;
  • Fadiga e falta de energia;
  • Acentuada alteração do apetite, pendendo para os excessos alimentares, principalmente de alimentos ricos em carboidratos, como doces em geral;
  • Sensibilidade ou inchaço das mamas;
  • Cefaleia (dor de cabeça);
  • Dor articular ou muscular (principalmente membros inferiores);
  • Retenção hídrica e ganho de peso.

Fonte: Shutterstock

O que fazer para diminuir os sintomas da TPM?

Primeiramente, é de extrema importância que a mulher conheça seu corpo e os sinais que ele dá, a fim de entender quando ela está realmente passando por um quadro de TPM. É bom que ela entenda também que TPM não é doença, e sim em desequilíbrio hormonal que, em alguns casos, necessita de tratamento médico para garantir  sua própria qualidade de vida e das pessoas com quem convive.

Combater o estresse do cotidiano e manter hábitos saudáveis contribuem bastante para diminuir os efeitos da TPM. É necessário que a mulher esteja atenta à alimentação e à prática regular de atividade física. O consumo de café, refrigerante, açúcar, comidas condimentadas, gordurosas, sal em excesso e o tabagismo devem ser evitados. Já para aliviar os sintomas, muitos profissionais de saúde recomendam o consumo de frutas, verduras, proteínas, carboidratos integrais, muita água e chás diuréticos.

Se a mulher tem mais sintomas psicológicos do que físicos, isso pode ser caracterizado como Transtorno Disfórico Pré-Menstrual (TDPM), um transtorno variante da tensão pré-menstrual, que tem a oscilação do humor como característica mais perturbadora e debilitante entre todos os sintomas já mencionados. Além disso, se a mulher perceber que os sintomas estão aumentando, mudando muito ou se estendendo mais do que o habitual, é importante procurar um ginecologista. 

Os profissionais afirmam que é normal a mulher sentir estas alterações de humor até duas semanas antes do período menstrual, mas os sintomas físicos normalmente surgem entre 48h a 24h antes da menstruação. 

A melhor maneira de uma mulher saber se está tudo certo consigo é observar se apresenta estes sinais mensalmente, e conhecendo o próprio corpo, ela mesma irá perceber alterações mais acentuadas.

A utilização de anticoncepcionais melhora os sintomas da TPM?

Mulheres que têm sintomas leves podem se beneficiar do uso de anticoncepcionais para eliminar a TPM, afinal, o medicamento mantém os níveis de estrogênio sempre elevados, evitando a queda brusca que ocorre antes da menstruação e causa os sintomas típicos. Os anticoncepcionais sem pausa são os que mais beneficiam nesse quesito. No entanto, é preciso ficar atenta: anticoncepcionais com altas taxas de hormônio podem ter efeito contrário, pois quando a mulher faz a pausa, os níveis de estrogênio sofrem uma queda brusca, podendo causar e agravar a TPM.

Por que sentimos tanta vontade de doce no período da TPM?

Se você quer saber de onde vem essa vontade, fica ligado no próximo artigo do blog. Lá você vai entender por que ansiamos tanto pelo doce nessa fase do mês e vai conhecer receitas saudáveis e deliciosas para substituir os doces tradicionais.

Segue a gente no Instagram @nutracisoficial. Lá a gente vai te avisar sobre as matérias que estão saindo aqui no blog e te apresentar uma diversidade enorme de conteúdos sobre saúde. 

Fontes:

MURAMATSU, Clarice H. et al . Consequências da síndrome da tensão pré-menstrual na vida da mulher. Rev. esc. enferm. USP,  São Paulo , v. 35, n. 3, p. 205-213, Sept. 2001 .   

<http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0080-62342001000300002&lng=en&nrm=iso>. access on  02 Mar. 2020. https://doi.org/10.1590/S0080-62342001000300002.

Cheniaux Junior E,Laks J, Chalub M. Síndrome pré-menstrual. Possíveis relações com os distúrbios afetivos: parte I. J Bras Psiq 1994a; 43(5): 271-80.

Tensão Pré-Menstrual. Projeto Diretrizes Associação Médica Brasileira e Conselho Federal de Medicina. 2011.

http://www2.correio24horas.com.br/detalhe/doutor-saude/noticia/tpm-atinge-80-das-mulheres-brasileiras/?cHash=9a14d04a556b29dddceba6db0563671e

Artigo Científico “Evaluating the effect of magnesium plus vitamin B6 supplement on the severity of premenstrual syndrome